IMÓVEIS

Novo jeito de morar: Hábitos da pandemia influenciam preferência do consumidor

Casas e apartamentos em regiões mais afastadas e imóveis com mais quartos, espaço home office, varandas e quintal são a nova tendência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 15/12/2020 15:00 / atualizado em 15/12/2020 15:36 Jéssica Mayara*
Imóveis mais afastados dos grandes centros têm ganhado o gosto do público - RKM/Divulgação Imóveis mais afastados dos grandes centros têm ganhado o gosto do público

“A pandemia modificou significativamente os hábitos das pessoas, e principalmente o jeito de morar. Passando mais tempo dentro de suas casas, as famílias começaram a sentir as dores da falta de espaço, de ambientes disfuncionais e a ausência da capacidade de adaptação dos espaços”, diz o CCO da RKM, Rodrigo Colares.

Assim, a busca por ambientes amplos, plantas flexíveis, varandas e jardins se elevou. A presença de um espaço específico para home office também se tornou parte das novas exigências dos consumidores. 

Outra preferência emergente é a localização mais afastada. Ou seja, imóveis localizados em regiões distantes dos grandes centros e com possibilidade de maior contato com a natureza caíram no gosto da população.

“Áreas comuns, capazes de proporcionar comodidade, conforto e lazer se tornaram boas opções também. E isso muito em função de as pessoas passarem a viver mais intensamente os seus lares e a observar o que facilita a rotina. Hoje, não são mais as pessoas que se adaptam à casa, e sim o contrário”, justifica. 
 
A pesquisa da Hibou, instituto de pesquisa e monitoramento de mercado, ilustra bem esse cenário. Segundo o estudo, o grau de insatisfação com a casa cresceu após o isolamento, refletindo em uma maior procura por imóveis com mais quartos, espaço home office, varandas e quintal. Justamente por isso, o investimento nos atributos requisitados tem crescido.

“Temos notado um maior interesse das pessoas por apartamentos maiores, mais flexíveis e que oferecem contato com a natureza, conforto e lazer no lar. Nosso investimento reúne todas essas inovações, de forma a atender às necessidades do consumidor”, explica a gerente de comunicação e marketing da RKM, Mariana Perillo. 

Para além do tipo de moradia e localização, Rodrigo Colares destaca que a pandemia trouxe, também, um reflexo nas escolhas e seus impactos na sociedade como um todo. “As pessoas passaram a ser mais cautelosas com suas escolhas, se tornaram mais criteriosas com o que estão comprando e/ou consumindo”, explica o CCO da RKM, que ressalta a objeção pela sustentabilidade também no quesito imóveis.
 
Rodrigo Colares, CCO da RKM - João Dias/Divulgação Rodrigo Colares, CCO da RKM
 

“Com toda a certeza, temos, atualmente, clientes mais informados e conscientes sobre o que estão consumindo. Na construção civil, isso não é diferente e vem crescendo cada vez mais a procura por imóveis com selos que garantam a preservação do meio ambiente em todo o processo construtivo. Nossos empreendimentos, inclusive, já contam com uma série de itens de sustentabilidade, como reuso de águas cinzas, irrigação com água de reuso, energia fotovoltaica para as áreas comuns, entre outros”, pontua. 

*Estagiária sob supervisão da editora Teresa Caram 

Tags: regiões afastadas espaço home office imóveis moradia casas apartamentos varandas lazer pandemia hábitos

Últimas Notícias

ver todas
26 de janeiro de 2021