Morar bem

Loft retrata um jeito americano de viver e transita na versatilidade de estúdios e flats

Com custo mais elevado em relação ao imóvel padronizado, oferta ainda é baixa. Tendência atrai solteiros, descasados e quem busca uma vida funcional e prática

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/05/2019 11:10 / atualizado em 14/05/2019 11:19 Norma Santos /Especial para o EM
O Solar Aimorés, da Caparaó, tem unidades de 44m² a 100m², variando entre um e dois quartos e com estilo de moradia descolada e livre  - Jomar Bragança/Divulgação O Solar Aimorés, da Caparaó, tem unidades de 44m² a 100m², variando entre um e dois quartos e com estilo de moradia descolada e livre

Eles eram acanhados, com número pouco expressivo em nossas páginas imobiliárias e por remeter aos conceitos nova-iorquinos se destacavam pelo pé-direito alto, vãos livres e, sobretudo, pelas pegadas industriais marcadas pelos tubulões aparentes, mezaninos de madeira e de ferro fundido. Não demorou muito para que arquitetos brasileiros que adoram se inspirar na terra do Tio Sam passassem a projetar formas similares, planejadas sem divisões geométricas e conferindo personalidade ao jeito loft, um estilo americano de viver, que também transita na versatilidade dos estúdios e dos flats.

Cenário perfeito de singularidade, a tendência atrai solteiros, descasados, casais sem filho e ainda quem busca uma vida funcional e prática. Com custo mais elevado em comparação ao imóvel padronizado, a oferta desse empreendimento ainda é baixa, surgindo aqui e ali por construtoras que fogem à lógica do tradicional segmento.

Isso explica porque eles não apresentam um índice habitacional na Fundação Ipead/UFMG, mas nas pesquisas do IBGE já apontam para um significativo avanço imobiliário. Segundo o órgão, 10% dos 56 milhões de nossos domiciliados são ocupados por uma única pessoa, o que representa mais de 5 milhões de gente morando sozinha.

Contudo, na hora de escolher entre um loft, estúdio ou apartamentos, as pessoas acabam se perdendo. Não confundir um com o outro só mesmo entendendo um pouco dos conceitos. Os lofts, por exemplo, conhecidos também como sótão, galpão de fábrica ou depósito na origem norte-americana da palavra, surgiram nos anos 50 e 60, quando jovens artistas de Nova York e Londres invadiram espaços antigos e os transformaram em grandes apartamento, que serviam de ateliês e ao mesmo tempo de moradia.

INICIATIVAS


Leiaute da Casamirador deixa claro as diferenças entre estúdios, lofts e apartamentos que, distribuídos em 38 unidades, se dividem em casas, estúdios, lofts e cobertura - Jomar Bragança/Divulgação Leiaute da Casamirador deixa claro as diferenças entre estúdios, lofts e apartamentos que, distribuídos em 38 unidades, se dividem em casas, estúdios, lofts e cobertura

No Brasil, foram muitas as cidades que caíram no gosto nova-iorquino, como São Paulo, primeira a trazer na década de 90 projetos que quebraram os paradigmas das isoladas iniciativas. Aos poucos, outras capitais seguiram o mesmo estilo, como Belo Horizonte, onde o arquiteto Júlio Teixeira estreou um prédio inteiro de lofts. Erguido na parte nobre da Rua São Paulo, 13 unidades com configurações variadas em espaços de 70m² a 300m², exibem as cópias fieis dos apês de Nova York.

Em Belo Horizonte, o arquiteto Júlio Teixeira estreou um prédio inteiro de
lofts na parte nobre da Rua São Paulo - Divulgação Em Belo Horizonte, o arquiteto Júlio Teixeira estreou um prédio inteiro de lofts na parte nobre da Rua São Paulo
Depois dele, outros empreendimentos criados com a mesma proposta vêm sendo incorporados à capital mineira. Muitos se destacam, como o Casamirador, projeto ousado do escritório Myssior Arquitetura, assinado por Gisele Borges, Lena Pinheiro, Cristiano Sá Motta e Isabela Vecci. Seu leiaute deixa claro as diferenças entre estúdios, lofts e apartamentos que distribuídos em 38 unidades se dividem em casas, estúdios, lofts e cobertura. Todas caracterizadas pelas demarcações internas, como delimitações de paredes para os imóveis de um e dois quartos; os estúdios, com áreas mais enxutas; e em seguida os lofts, planejados sem delimitação de barreiras.

Alguns com mezanino e pé-direito duplo oferecem dormitório e banheiro completo na parte de cima. O prédio chama atenção entre as outras arquiteturas da Savassi por ser alusivo aos hotéis-butiques de bairros que se reinventaram ao longo do tempo como Soho, em Nova York, e também por ser atípico em assimetria e em janelas fora dos padrões pré-definidos para moradia. No acabamento externo do edifício, as chapas de aço corten perfuradas lembram as fachadas de Barcelona, na Espanha.

Entregue no primeiro semestre do ano passado, o # Selfie Appartamento, da Construtora Caparaó, tem lofts de 1 e 2 quartos, alguns duplex de 44m² a 85,5m². Com fachada de uma elegância extrema e uma arquitetura diferenciada, o prédio se destaca por frisos em inox, várias texturas e um imponente hall com pé direito ultrapassando os 10m de altura, pilares revestidos em aço inox polido, valorizados pela entrada triunfal, cercada de um exótico jardim geométrico, da paisagista Carla Pimentel.

Na mesma região, a empresa também lançou o Solar Aimorés, com unidade de 44m² a 100m², variando entre um e dois quartos e com estilo de moradia descolada e livre, como os lofts de pegada industrial caracterizada pela peculiaridade das instalações elétricas aparentes.

Últimas Notícias

ver todas
18 de maio de 2019
14 de maio de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura