41 Casas Comerciais para alugar em Santo André - SP

Refinar busca
41 Resultados encontrados
Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. General Glicério, Centro, Santo André, SP valor de R$ 23.000,00 no Lugar Certo  20

Casa Comercial
R. General Glicério, Centro, Santo André, SP

Prédio Comercial, com 2 pavimentos, 20 salas amplas e modernas, 2 recepçãoes, 1 copa, 5 WC, ar condicionado, elevador para deficientes físicos, 4 vagas no recúo e estacionamento.Localização privilegiada no Centro de Santo André, próximo ao Shopping Plaza, estação Celso Daniel, lojas Casas Bahia, Lojão do Brás, Armarinhos Fernandes e muito mais. Ligue e agende a sua visita . ¿Pequenas oportunidades podem ser o início de grandes empreendimentos¿ Demóstenes <br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulhere...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 80.000,00 no Lugar Certo  21

Casa Comercial
Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP

Prédio comercial impecável localizado em uma das avenidas mais movimentadas de Santo André próximo a faculdades, estação utinga, São Caetano do Sul, Av. Industrial e fácil acesso ao transporte público, imóvel possuindo 2.388m² de terreno com dimensões de 47 de frente x 52 de lado direito x 42,78 de lado esquerdo x 53 de fundos, 2.771m² de área construída, aproximadamente 7m de pé direito, composto por 2 pavimentos, 2 elevadores, mezanino, 100 vagas de garagem e 3 banheiros. Não perca essa oportunidade, agende sua visita!!! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. das Figueiras, Jardim, Santo André, SP valor de R$ 25.000,00 no Lugar Certo  28

Casa Comercial
R. das Figueiras, Jardim, Santo André, SP

Excelente predio comercial localizado em um ponto estratégico do bairro jardim, em uma das ruas mais movimentadas de Santo André, próximo do Parque IV Centenário, próximo de mercados, bares, escolas, farmácias, Viaduto Juscelino Kubitscheck e muito mais. Imóvel possuindo 1.061,00m² de área construída, 525m² de terreno, aproximadamente 3,5m de pé direito, composto por várias salas, recepção, cozinha, refeitório com churrasqueria, 10 banheiros e 10 vagas de garagem cobertas. Ótima oportunidade, agende sua viista!!! ¿Poucos aceitam o fardo da própria vitória; a maioria desiste dos sonhos quando eles se tornam possíveis¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico Criado em 1925, o Jardim é um dos bairros mais antigos e tradicionais de Santo André. O território surgiu com o objetivo de atrair a parcela com maior nível de escolaridade na época, como funcionários graduados das fábricas e empresas nos arredores, como Black & Decker, Rhodia, Armco e Nordon, por exemplo. Além disso, o bairro Jardim foi uma das primeiras configurações de planejamento urbano da cidade. As informações são citadas na obra de Ademir Medici, "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Como surgiu o nome? O bairro foi parcialmente inspirado no conceito urbanístico de Ebenezer Howard, no caso, o criador do termo Cidade Jardim (Garden City), do final do século 19. A ideia de Howard, basicamente, consiste em estabelecer núcleos urbanos e residências em meio à natureza, com qualidade de vida e próximos à região central da cidade. Dessa forma, justifica-se a escolha da denominação "Jardim" para o bairro de Santo André, pois foi inspirado nesse conceito. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores da localidade, como citado anteriormente, eram funcionários das fábricas com alto grau de escolaridade, além de suas famílias. As áreas loteadas traziam residências ocupadas por engenheiros técnicos e supervisores de empresas como Black & Decker e Rhodia, dentre os quais alguns estrangeiros. Além do bairro Jardim, Utinga e Campestre eram denominadas como "habitação burguesa" pela própria empresa responsável pela comercialização dos lotes. Os dados constam no livro de Medici. E das recordações do bairro, a obra ainda relata as antigas festas juninas que integravam as pessoas nas ruas "calmas e tranquilas", conforme depoimento de alguns moradores. Loteamentos no bairro Nos anos 20, os loteadores, no caso a Família Pujol - que viabilizou outros loteamentos de bairros em Santo André -, buscou oferecer planejamento urbano para os futuros moradores. A população acompanhou o surgimento da avenida Industrial, que abrigaria essas fábricas e ainda hoje representa uma das vias mais importantes da cidade. Dados atuais O bairro Jardim tem população estimada em mais de 8.405 habitant...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros



Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. General Glicério, Centro, Santo André, SP valor de R$ 16.500,00 no Lugar Certo  30

Casa Comercial
R. General Glicério, Centro, Santo André, SP

Excelente prédio comercial, localizado no Centro, com 9 salas, todas possuindo ar-condicionado, com no total 675m², 6 vagas de garagem. Oportunidade unica, venha agendar sua visita!!!! "Um homem sensato criará para sua vida mais oportunidades do que a vida lhe proporcionará". - Francis Bacon<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura de Santo André, com base em informações...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Gilda, Vila Gilda, Santo André, SP valor de R$ 60.000,00 no Lugar Certo  23

Casa Comercial
Av. Gilda, Vila Gilda, Santo André, SP

Excelente prédio comercial com 32 salas no total, tendo 34 lavabos sendo 1 lavabo por sala e possuindo no salão 2 lavabos. Imóvel com 8 andares, 3 subsolos e 1 salão do lado da entrada. o 1° subsolo possui 16 vagas (1 vaga para deficiente), o 2° subsolo é igual ao 1°, o 3° subsolo tem 18 vagas para carros e 2 para motos, 2 elevadores, o salão do lado possui 130m². OPORTUNIDADE ÚNICA, AGENDE SUA VISITA!!!<br><br>Origem e resgate histórico O bairro Vila Gilda nasceu a partir de um território que no passado fazia parte das terras de Manoel José de Lima, no século 19. O proprietário do território ainda contava com um sítio nos arredores, próximo ao caminho do Pilar, ponto importante para mobilidade no passado. As informações estão contidas na tese de Iberê Luiz Di Tizio, "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairro", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. Como surgiu o nome? É provável que a denominação tenha ligação à "exaltação" ou "homenagem" a integrantes e/ou familiares dos loteadores do então bairro, como menciona Di Tizio em sua tese. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores chegaram ao bairro em 1935, um pouco antes da emancipação de Santo André em relação a São Bernardo, fato sucedido em 1938. E a população que se instalou na Vila Gilda é composta por pessoas provenientes da região do ABC, de cidades paulistas e brasileiras, de forma geral. Loteamentos no bairro No ano de 1926, o território passou por loteamentos divididos, basicamente, em chácaras, as quais abrigavam criação de porcos, além de produção de tijolos. Nos anos 90, a Vila Gilda ainda integrou outros territórios também pertencentes a Manoel José de Lima, como o Jardim do Pilar, Vila Bandeirantes e Vila Apiaí. Dados atuais O bairro Vila Gilda conta com 6.239 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações colhidas no ano de 2014. O levantamento apurou informações socioeconômicas e populacionais sobre os bairros da cidade. E as informações do bairro Vila Gilda foram apuradas junto com o bairro Pinheirinho, já que se trata de um trabalho extenso. Alguns dados de bairros com contextos semelhantes foram apurados de forma conjunta no anuário. Quanto às informações socioeconômicas obtidas no estudo, vale destacar que a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 3.778,56. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa, incluindo as pessoas sem renda fixa mensal. Além dessas informações, o anuário ainda revela as faixas etárias predominantes e respectivos índices populacionais correspondentes: " 1.238 habitantes (grupo de pessoas ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Dom Pedro II, Jardim, Santo André, SP valor de R$ 20.000,00 no Lugar Certo  19

Casa Comercial
Av. Dom Pedro II, Jardim, Santo André, SP

Excelente predio comercial localizado em uma das Avenidas mais movimentadas de Santo André composto por 400m² de terreno com dimensões de 10 x 40, 787m² de área construída, aproximadamente 5m de pé direito, possuindo 2 pavimentos, 1 copa, 3 banheiros, 12 vagas de garagem e uma área de lazer com churrasqueira. Ótima oportunidade, agende sua visita!!! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico Criado em 1925, o Jardim é um dos bairros mais antigos e tradicionais de Santo André. O território surgiu com o objetivo de atrair a parcela com maior nível de escolaridade na época, como funcionários graduados das fábricas e empresas nos arredores, como Black & Decker, Rhodia, Armco e Nordon, por exemplo. Além disso, o bairro Jardim foi uma das primeiras configurações de planejamento urbano da cidade. As informações são citadas na obra de Ademir Medici, "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Como surgiu o nome? O bairro foi parcialmente inspirado no conceito urbanístico de Ebenezer Howard, no caso, o criador do termo Cidade Jardim (Garden City), do final do século 19. A ideia de Howard, basicamente, consiste em estabelecer núcleos urbanos e residências em meio à natureza, com qualidade de vida e próximos à região central da cidade. Dessa forma, justifica-se a escolha da denominação "Jardim" para o bairro de Santo André, pois foi inspirado nesse conceito. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores da localidade, como citado anteriormente, eram funcionários das fábricas com alto grau de escolaridade, além de suas famílias. As áreas loteadas traziam residências ocupadas por engenheiros técnicos e supervisores de empresas como Black & Decker e Rhodia, dentre os quais alguns estrangeiros. Além do bairro Jardim, Utinga e Campestre eram denominadas como "habitação burguesa" pela própria empresa responsável pela comercialização dos lotes. Os dados constam no livro de Medici. E das recordações do bairro, a obra ainda relata as antigas festas juninas que integravam as pessoas nas ruas "calmas e tranquilas", conforme depoimento de alguns moradores. Loteamentos no bairro Nos anos 20, os loteadores, no caso a Família Pujol - que viabilizou outros loteamentos de bairros em Santo André -, buscou oferecer planejamento urbano para os futuros moradores. A população acompanhou o surgimento da avenida Industrial, que abrigaria essas fábricas e ainda hoje representa uma das vias mais importantes da cidade. Dados atuais O bairro Jardim tem população estimada em mais de 8.405 habitantes. Desse total, 3.937 correspondem aos homens e 4.467 é o índice aproximado de mulheres residentes no bairro. As informações fazem parte do Anuário 2015 da Prefeitura de Santo André, e as ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Coronel Agenor de Camargo, Centro, Santo André, SP valor de R$ 10.000,00 no Lugar Certo  30

Casa Comercial
R. Coronel Agenor de Camargo, Centro, Santo André, SP

Excelente prédio comercial Centro/ SA- 17 salas, 14 wcs, cozinha, área de serviço, ótimo acabamento. Agende sua visita!<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura de Santo André, com base em informações coletadas no ano de 2014. Ainda sobre o perfil populacional abordado no estudo municipal, em relação à escolaridade, a maior parte dos habitantes do Centro tem ensino super...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 25.000,00 no Lugar Certo  19

Casa Comercial
Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP

Imóvel comercial impecável localizado no bairro Campestre com fácil acesso as estações Utinga e Prefeito Saladino, próximo da Anhanguera, Hospitais, Farmácias, mercados, Garoupa e muito mais. Imóvel possuindo 1.000m² de terreno com as dimensões de 20 x 50, aproximadamente 1.250m² de área construída, sendo as metragens aproximadas de 550m² de salão principal com mezanino, 3 pavimentos nos fundos com 250m² cada, sendo 8 salas nos fundos( cada sala com 60m²), 25 vagas de garagem, pé direito alto no salão principal e muito mais!!! Não perca essa oportunidade, agende a sua visita!!! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, co...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Laura, Centro, Santo André, SP valor de R$ 28.000,00 no Lugar Certo  8

Casa Comercial
R. Laura, Centro, Santo André, SP

Excelente prédio comercial localizada no bairro Centro de Santo André próximo de hospitais, padarias, pizzarias, farmácias, escolas e muito mais. Imóvel possuindo uma área de terreno de 284m² com as dimensões de 10,05 x 29 x 27,8 x 10, com 832,42 m² de área construída, sendo distribuído em: Térreo 210 m², Primeiro Pavimento 199.71 m², Segundo Pavimento 190.71 m²,Terceiro Pavimento 192 m², Casa de Máquina 40m² , 16 salas prontas já com ar condicionado e lavatório, 12 banheiros, elevador, estacionamento para ate 10 veiculos e monitoramento 24 horas por sistema de alarme. Não perca essa oportunidade, agende a sua visita!!! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Florianópolis, Vila Santa Teresa, Santo André, SP valor de R$ 4.000,00 no Lugar Certo  9

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Trv. Vereador Lourenço Rondinelli, Centro, Santo André, SP valor de R$ 20.000,00 no Lugar Certo  14

Casa Comercial
Trv. Vereador Lourenço Rondinelli, Centro, Santo André, SP

Prédio no centro de Santo André possuindo 330m² de terreno e 590m² de área construída, com ótima localização, fácil acesso pela Avenida Edson Danilo Dotto, próximo ao Museu de Santo André, Senac, Etec, Padaria Brasileira e comércio variado na região.Prédio ideal para empreendimentos. Não perca essa oportunidade, agende sua visita!!!<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Marina, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 17.000,00 no Lugar Certo  30

Casa Comercial
R. Marina, Campestre, Santo André, SP

Excelente prédio comercial localizado no bairro campestre com uma ótima visibilidade, totalmente pronto e estruturado para clínica médica, mas, pode ser adaptado para qualquer outro tipo de comércio. Imóvel possuindo 271m² de área construída, pé direito duplo, composto por elevador, 7 salas, recepção, copa, cozinha, jardim de inverno, interfone, câmeras de segurança, ar condicionado em todas as salas, 5 banheiros, 2 vagas de garagem no recuo e 1 vaga na lateral. Não perca essa oportunidade e agende sua visita!!! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua te...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Portugal, Centro, Santo André, SP valor de R$ 21.000,00 no Lugar Certo  26

Casa Comercial
Av. Portugal, Centro, Santo André, SP

Predio comercial para locação, perfeito para bancos, antigo Itaú Personalité, localização em zona nobre em santo andré, agende sua visita! ¿É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura de Santo André, com base em informações coletadas no ano de 2014. Ainda sobre o perfil populaci...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Coronel Alfredo Fláquer, Centro, Santo André, SP valor de R$ 13.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
R. Coronel Alfredo Fláquer, Centro, Santo André, SP

SALÃO COMERCIAL GRANDE EMOTIMA LOCALIZAÇÃO. AGENDE SUA VISITA<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura de Santo André, com base em informações coletadas no ano de 2014. Ainda sobre o perfil populacional abordado no estudo municipal, em relação à escolaridade, a maior parte dos habitantes do Centro tem ensino superior completo, o que representa cerca de 1.530 pessoas. &...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Alfredo Maluf, Jardim Santo Antônio, Santo André, SP valor de R$ 10.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
Av. Alfredo Maluf, Jardim Santo Antônio, Santo André, SP

Excelente Prédio Comercial Vila Alto de Santo André; 1° pavimento - estacionamento com capacidade para 10 carros. Duas salas, copa e dois banheiros. 2° pavimento - Salão amplo, piso frio, 4 salas, copa, 4 banheiros (sendo 2 acessíveis). Salão com 4 aparelhos de ar condicionado instalados. Porta automatizada. 3° pavimento - 8 salas com ar condicionado, incluindo almoxarifado e sala com isolamento acústico. Varanda ampla. <br><br>Origem e resgate histórico O bairro tem suas origens no final dos anos 30, na época da emancipação da cidade de Santo André, em relação ao município de São Bernardo, no ano de 1938. Nesse período, o então bairro era conhecido como Arraial Santo Antônio. As informações observadas constam na tese de Iberê Luiz Di Tizio, intitulada "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, no ano de 2009. Como surgiu o nome? Não constam, de fato, dados exatos sobre a origem do nome, porém a adoção de "Jardim" pode atender às demandas mercadológicas habituais, assim como ocorre em relação a outros bairros da cidade e do Brasil que possuem também essa denominação, no caso, "Jardim". Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores do bairro atualmente conhecido como Jardim Santo Antônio eram migrantes de cidades além do ABC, bem como de município do Estado de São Paulo, além de outras localidades pelo Brasil afora, de forma geral. Loteamentos no bairro As ocupações em massa no território ocorreram entre o final dos anos 30 até os anos 50, década onde o loteamento sucedeu de forma mais intensa. Na ocasião, os primeiros habitantes do bairro pagavam aluguel e, dessa forma, também buscavam por terras com preços acessíveis para aquisição. Dados atuais A população do Jardim Santo Antônio é estimada em mais de 9.453 habitantes, conforme informações do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em dados do ano de 2014. O levantamento apurou informações socioeconômicas e populacionais sobre os bairros da cidade. E, com base nos dados obtidos do anuário municipal, a população do Jardim Santo Antônio se divide dessa forma: " 5.037 pessoas (corresponde à população feminina); " 4.416 pessoas (corresponde à população masculina); As três faixas etárias com maior índice populacional, conforme os dados colhidos pelo anuário são as seguintes: " 1.752 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " 1.542 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " 1.429 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); Em todo caso, as demais faixas etárias observadas: " 1.384 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 anos); " 1.324 habitantes (grupo de pessoas entre 50 a 59 anos); " 601 habitantes (grupo de pessoas entre 15 a 19 anos); " ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Pça. do Carmo, Centro, Santo André, SP valor de R$ 17.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
Pça. do Carmo, Centro, Santo André, SP

Excelente Prédio Comercial Centro/SA - 04 andares contendo 12 salas amplas, 02 cozinhas, 08 wcs, portaria com 01 wc, elevador que serve todos os andares, com aproximadamente 679m² de área construída, elétrica toda revisada e em ótimo funcionamento. Ótimo imóvel para Call Center, Escola de cursos profissionalizantes, escola de idiomas, localização privilegiada. Agende sua visita!!!!!<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Araguaia, Vila Curuçá, Santo André, SP valor de R$ 25.000,00 no Lugar Certo

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em Av. Doutor Cesário Bastos, Vila Bastos, Santo André, SP valor de R$ 15.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
Av. Doutor Cesário Bastos, Vila Bastos, Santo André, SP

Prédio comercial com 750m² de área útil, com 03 escritórios, 1 elevador, 10 banheiros, 1 cozinha, 6 vagas sendo 4 descobertas e 2 cobertas e 1 gerador para todo o imóvel. Em excelente ponto comercial de Santo André, próximo a Avenida Portugal.<br><br>Origem e resgate histórico O bairro Vila Bastos surgiu, de fato, por volta do ano de 1921, mas o loteamento sucedeu três anos depois, em 1924, época em que Santo André ainda fazia parte de São Bernardo, já que a emancipação sucedeu em 1938. As terras loteadas na Vila Bastos integravam territórios das chácaras de Bastos e de Suplicy. As informações constam na tese de Iberê Luiz Di Tizio: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. Como surgiu o nome? É provável que a denominação toponímica referente à localidade esteja ligada à chácara de Bastos. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores da Vila Bastos, de fato, vieram de localidades de toda a região do ABC, assim como do Estado de São Paulo e demais cidades brasileiras. Dados atuais O bairro Vila Bastos conta com cerca de 5.916 habitantes, segundo dados colhidos pelo do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações do ano de 2014. O levantamento realizado pela prefeitura apurou resultados socioeconômicos e populacionais sobre os bairros da cidade, num material extenso com informações diversas sobre as localidades. Do índice populacional (5.916 habitantes) são observados alguns dados: " Cerca de 3.206 habitantes se referem à população feminina; " Cerca de 2.710 habitantes correspondem à população masculina; " Além disso, a Vila Bastos conta com aproximadamente 2.138 domicílios particulares permanentes ocupados, como cita o documento elaborado; Quanto às informações socioeconômicas obtidas, a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 4.017,33, uma das mais altas entre os bairros da cidade. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa, incluindo as pessoas que não têm renda mensal, mas residem no imóvel. O anuário elaborado pela Prefeitura de Santo André ainda aponta as faixas etárias com os maiores índices populacionais observados, conforme os dados colhidos pelo anuário municipal: " Cerca de 1.329 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " Cerca de 928 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 anos); " Cerca de 881 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); " Cerca de 876 habitantes (grupo de pessoas entre 50 a 59 anos); As demais faixas etárias observadas: " Cerca de 836 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " Cerca de 3...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. das Figueiras, Jardim, Santo André, SP valor de R$ 35.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
R. das Figueiras, Jardim, Santo André, SP

Excelente prédio comercial na parte térrea com 250m² de área útil, fino acabamento, no edifício possue uma garragem com 16 vagas que fica no subsolo, 4 pavimentos sendo terro salão garagem subsolo e salas 2 e 3 andar, localizado na Rua das Figueiras. Agende sua visita!<br><br>Origem e resgate histórico Criado em 1925, o Jardim é um dos bairros mais antigos e tradicionais de Santo André. O território surgiu com o objetivo de atrair a parcela com maior nível de escolaridade na época, como funcionários graduados das fábricas e empresas nos arredores, como Black & Decker, Rhodia, Armco e Nordon, por exemplo. Além disso, o bairro Jardim foi uma das primeiras configurações de planejamento urbano da cidade. As informações são citadas na obra de Ademir Medici, "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Como surgiu o nome? O bairro foi parcialmente inspirado no conceito urbanístico de Ebenezer Howard, no caso, o criador do termo Cidade Jardim (Garden City), do final do século 19. A ideia de Howard, basicamente, consiste em estabelecer núcleos urbanos e residências em meio à natureza, com qualidade de vida e próximos à região central da cidade. Dessa forma, justifica-se a escolha da denominação "Jardim" para o bairro de Santo André, pois foi inspirado nesse conceito. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores da localidade, como citado anteriormente, eram funcionários das fábricas com alto grau de escolaridade, além de suas famílias. As áreas loteadas traziam residências ocupadas por engenheiros técnicos e supervisores de empresas como Black & Decker e Rhodia, dentre os quais alguns estrangeiros. Além do bairro Jardim, Utinga e Campestre eram denominadas como "habitação burguesa" pela própria empresa responsável pela comercialização dos lotes. Os dados constam no livro de Medici. E das recordações do bairro, a obra ainda relata as antigas festas juninas que integravam as pessoas nas ruas "calmas e tranquilas", conforme depoimento de alguns moradores. Loteamentos no bairro Nos anos 20, os loteadores, no caso a Família Pujol - que viabilizou outros loteamentos de bairros em Santo André -, buscou oferecer planejamento urbano para os futuros moradores. A população acompanhou o surgimento da avenida Industrial, que abrigaria essas fábricas e ainda hoje representa uma das vias mais importantes da cidade. Dados atuais O bairro Jardim tem população estimada em mais de 8.405 habitantes. Desse total, 3.937 correspondem aos homens e 4.467 é o índice aproximado de mulheres residentes no bairro. As informações fazem parte do Anuário 2015 da Prefeitura de Santo André, e as informações são baseadas em dados de 2014. O bairro Jardim tem maior predominância de população idosa, com mais de 1.753 habitantes com 60 anos ou mais. Na sequência, as faixas etá...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Casa Comercial para alugar em R. Ester, Villa Alpina, Santo André, SP valor de R$ 7.000,00 no Lugar Certo

Casa Comercial
R. Ester, Villa Alpina, Santo André, SP

Prédio comercila na Vila Alpina com 06 salas, 06 wc social, churrasqueira, 02 copas - Prédio contem um sação comercial, 08 vagas para garagem. Energia trifásica. 500 m² área construída. Agende sua visita.<br><br>Origem e resgate histórico Bairro surgiu no caminho para São Paulo e passou pelo primeiro loteamento já na década de 20, em 1923. No caso, nessa época Santo André ainda fazia parte do município de São Bernardo, já que a emancipação sucedeu no final dos anos 30. Como surgiu o nome? A denominação com uso do termo "vila" tem inspiração em localidades como os bairros paulistanos Vila Mariana e Vila Madalena, por exemplo. Com o passar do tempo, a denominação foi empregada em bairros populares, bem como, vilas de operários. Essas informações são apontadas a tese de Iberê Luiz Di Tizio, intitulada: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), no ano de 2009. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores a chegarem ao bairro tinham o objetivo de buscar oportunidade de trabalho nas empresas da região. Vieram populações do ABC, do Estado e de outras partes do Brasil. Loteamentos no bairro José Gonzaga Franco Filho foi o primeiro loteador da localidade, ainda nos anos 20. Décadas mais tarde, nos anos 40 e 50, foram construídos conjuntos habitacionais IAPI (Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários). Essas habitações foram vendidas a operários que chegaram ao bairro em busca de trabalho na área industrial. Dados atuais A população da Vila Alpina é estimada em mais de 1.663 habitantes, conforme informações do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em dados do ano de 2014. O levantamento apurou informações socioeconômicas e populacionais sobre os bairros da cidade. E, com base nos dados obtidos no anuário municipal, observamos que a população se divide dessa forma: " 884 pessoas (corresponde à população feminina); " 779 pessoas (corresponde à população masculina); As três faixas etárias com maior índice populacional, conforme os dados colhidos pelo anuário são as seguintes: " 347 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " 256 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); " 255 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 anos); " 246 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); Em todo caso, as demais faixas etárias observadas: " 237 habitantes (grupo de pessoas entre 50 a 59 anos); " 90 habitantes (grupo de pessoas entre 15 a 19 anos); " 82 habitantes (grupo de pessoas entre 10 a 14 anos); " 75 habitantes (grupo de pessoas entre 0 a 04 anos); " 74 habitantes (grupo de pessoas entre 05 a 09 anos); Quanto às informações socioeconômicas,...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros