57 Galpões para alugar no Vila Boa Vista, Santo André - SP

Refinar busca

Não conseguimos localizar galpao com a combinação do filtro "Bairro" em Santo André - SP. Por isso, recomendamos imóveis semelhantes. Altere os filtros e refaça a busca.

57 Resultados semelhantes
Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 13.500,00 no Lugar Certo  20

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Atlântica, Vila Valparaíso, Santo André, SP valor de R$ 18.000,00 no Lugar Certo

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 170.000,00 no Lugar Certo  30

Galpão
Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP

Galpão Industrial com 17,000m² de terreno, mais ou menos 7000m² de área construida de galpão, possui 8 pontes rolantes, a maior podendo levar até 30 toneladas, galpão todo em aluminio e vigas d aço, zona completamente industrial livre de contaminação de solo e água subterranea, relatório de investigação feitos em outubro de 2018. Agende sua visita!!!<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros



Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Dom Pedro I, Vila Tibiriçá, Santo André, SP valor de R$ 13.000,00 no Lugar Certo  19

Galpão
Av. Dom Pedro I, Vila Tibiriçá, Santo André, SP

GALPAO OTIMA LOCALIZACAO COM 900M² DE AREA UTIL, HA 06KM DO RODOANEL<br><br>Origem e resgate histórico O bairro tem suas origens por volta dos anos 50. O território que compreende a localidade é limitado pelo ribeirão Guarará além da avenida D. Pedro 1º. As informações estão contidas na tese de Iberê Luiz Di Tizio, "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. Como surgiu o nome? É provável que a indicação do nome seja uma homenagem a um dos personagens mais marcantes da história da região e do país, como o cacique Tibiriçá, liderança indígena que se tornou famosa desde a colonização europeia no Brasil. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores a se estabelecerem na Vila Tibiriçá vieram de outras partes do Estado e, especialmente, de outras cidades brasileiras. Dessa forma, nutriam intuito de conquistarem uma vida melhor na região, aproveitando a oportunidade de trabalho nas empresas ao redor. Dados atuais A população do bairro é estimada em 2.633 habitantes, segundo informações do Anuário de 2015, produzido pela prefeitura, com base em dados colhidos em 2014. Além desses dados, o anuário ainda aponta cerca de 824 domicílios particulares permanentes ocupados. O levantamento do anuário municipal aborda os seguintes índices populacionais por gênero, conforme consta abaixo: " 1.351 habitantes (referente à população feminina); " 1.282 habitantes (referente à população masculina); O bairro ainda conta com maior índice populacional nas seguintes faixas etárias observadas pelo anuário: " Grupo de pessoas entre 20 a 29 anos = cerca de 498 habitantes; " Grupo de pessoas entre 30 a 39 anos = cerca de 438 habitantes; " Grupo de pessoas entre 40 a 49 anos = cerca de 376 habitantes; Os demais dados registrados: " Grupo de pessoas entre 50 a 59 anos = cerca de 278 habitantes; " Grupo de pessoas com 60 anos ou mais = cerca de 267 habitantes; " Grupo de pessoas entre 15 a 19 anos = cerca de 217 habitantes; " Grupo de pessoas entre e 10 a 14 anos = cerca de 214 habitantes; " Grupo de pessoas entre 05 a 09 anos= cerca de 177 habitantes; " Grupo de pessoas entre 0 a 04 anos = cerca de 170 habitantes; Quanto às informações socioeconômicas, a renda média familiar mensal per capita é de R$ 1.151,29. O cálculo é obtido a partir da soma dos rendimentos mensais de cada membro da família economicamente ativo e, depois, é feita a divisão desse valor pela quantia de pessoas que moram na casa (sendo economicamente ativas ou não). O levantamento ainda traz informações sobre o nível de escolaridade da população residente. Confira abaixo as informações: o Sem instrução ou ensino fundamental incompleto = 1.053 habitantes; o Com ensino fundamental completo ou...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Cantagalo, Vila Sacadura Cabral, Santo André, SP valor de R$ 6.000,00 no Lugar Certo  21

Galpão
R. Cantagalo, Vila Sacadura Cabral, Santo André, SP

Excelente Galpão Vila Cabral /SA com 645m² de área construida , 350 de área fabril, WC, pé direito 6m², mezanino amplo com escritório, wcs e cozinha, 01 vaga de garagem.<br><br>Origem e resgate histórico O bairro Vila Sacadura Cabral tem suas origens por volta de 1952, período marcado pelos primeiros loteamentos na localidade. No caso, cerca de quase 15 anos após a emancipação de Santo André em relação a São Bernardo, fato ocorrido em 1938. Como surgiu o nome? A denominação toponímica surgiu em virtude de uma homenagem a Sacadura Cabral (Arthur de Sacadura Freire Cabral), aviador português responsável pela primeira travessia aérea de Lisboa ao Rio de Janeiro, ainda nos anos 20. Os dados são citados por Iberê Luiz Di Tizio, em sua tese: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. A homenagem foi uma sugestão de um motorista que transportou Sacadura durante a visita dele ao sítio dos Tangarás, em Santo André. A propriedade pertencia a Charles Murray, executivo da famosa empresa São Paulo Railway. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores a se estabelecerem no bairro vieram de outras partes do Estado e, especialmente, de outras cidades brasileiras. Loteamentos no bairro Embora tenha surgido em 1952, a Vila Sacadura Cabral já contava com loteamentos nos anos 30. Porém o processo desenvolvimento apenas se desenrolou nos anos 50, após a área ser arrematada pela Caixa Econômica Federal, fomentando assim a ocupação no bairro. Na década de 30, a Vila Sacadura Cabral possuía muitas olarias ao redor. As informações constam na obra de Ademir Medici intitulada: "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Dados atuais O bairro Vila Sacadura Cabral conta com cerca de 11.899 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações de 2014. O levantamento apurou resultados socioeconômicos e populacionais sobre os bairros da cidade, num material extenso com informações diversas sobre as localidades. Os dados citados contidos no anuário também se referem ao bairro Vila Aquilino. Foram colhidas informações conjuntamente de ambas as localidades, já que se tratam de bairros vizinhos com contextos semelhantes. Quanto às informações socioeconômicas, a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 1.025,03. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa. O anuário ainda aponta as faixas etárias com os maiores índices: " Cerca de 2.378 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " Cerca de 1.952 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. da Paz, Vila Metalúrgica, Santo André, SP valor de R$ 3.900,00 no Lugar Certo  10

Galpão
Av. da Paz, Vila Metalúrgica, Santo André, SP

Ótimo galpão localizado no bairro Vila Metalurgica possuindo aproximadamente 200m² de vão livre, 7,5m de pé direito, composto por escritório, refeitório, 2 banheiros, 1 sala, ligação trifásica e 3 vagas no recuo. Não perca essa oportunidade, agende sua visita!!! ¿Poucos aceitam o fardo da própria vitória; a maioria desiste dos sonhos quando eles se tornam possíveis¿ Paulo Coelho.<br><br>Origem e resgate histórico Por volta de 1925, o bairro Vila Splendor (antigo nome da Vila Metalúrgica) foi povoado, a partir dos primeiros loteamentos, feitos por Camilo Pedutti. As informações são citadas por Iberê Luiz Di Tizio, em sua tese: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. Como surgiu o nome? É provável que a denominação toponímica esteja relacionada ao aumento de migrantes operários que se estabeleceram no bairro. Dessa forma, Pedutti optou pela mudança no nome do bairro, nos anos 30. Primeiros moradores e habitação Por volta da década de 30, migrantes objetivados a trabalharem nas empresas da região se instalaram no bairro. Houve chegada de trabalhadores de toda a região do ABC, do Estado de São Paulo, além de outros Estados brasileiros. Loteamentos no bairro Como os terrenos continham características como áreas alagadiças e insalubres, o loteador buscou vender lotes a indústrias que se instalaram na região. As informações constam na obra de Ademir Medici intitulada: "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Dados atuais O bairro Vila Metalúrgica possui cerca de 11.470 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações do ano de 2014. O levantamento apurou resultados socioeconômicos e populacionais sobre os bairros da cidade em um levantamento extenso. O bairro ainda possui aproximadamente 3.909 domicílios particulares permanentes ocupados, conforme informações disponibilizadas no anuário municipal. Quanto às informações socioeconômicas, a renda mensal média familiar (per capita) registrada no documento é de R$ 1.639,10. Lembrando ainda que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa, incluindo também quem reside no imóvel, mas não conta com renda mensal. O anuário ainda aponta as faixas etárias e respectivos índices populacionais observados, conforme os dados colhidos: " Cerca de 1.990 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " Cerca de 1.923 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); " Cerca de 1.887 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " Cerca de 1.638 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 an...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Correia Dias, Centro, Santo André, SP valor de R$ 25.000,00 no Lugar Certo  16

Galpão
R. Correia Dias, Centro, Santo André, SP

Excelente galpão comercial esquina com a rua Cesario Mota , terreno 20 x 22,40m construção 650m², salão terreo com 5 wc mais sobrado com 4 salas e 1 wc mais salão terreo menor 1 wc .<br><br>Origem e resgate histórico Como na história e origem de muitas cidades, o povoamento pode surgir por meio de vários fatores: ao redor de uma fábrica, fazenda, praça ou de uma estação de trem, como ocorreu, justamente, no Centro de Santo André. Os aspectos históricos da região estão intimamente ligados às primeiras habitações que surgiram nos arredores da estação ferroviária da São Paulo Railway, no caso, a estação de São Bernardo. Esses acontecimentos sucederam de 1867 ao final do século 19. Nesse período, a região central de Santo André ganhava forma e, depois, se tornou um distrito importante da então cidade de São Bernardo. Como surgiu o nome? A partir da primeira década do século 20, a área que hoje compreende o Centro receberia o nome de Distrito de Santo André, integrante do município de São Bernardo. Com a emancipação da cidade, no final dos anos 30, essa região se tornou o Centro do município recém-criado e uma das localidades mais importantes e geradoras de renda e emprego da região. Dessa forma, surgiu a denominação atual. Primeiros moradores e habitação Por volta do final do século 19, as primeiras áreas ao redor da estação ferroviária de São Bernardo começaram a ser povoadas. O Centro, o então bairro da estação, era um caminho de fácil acesso a pontos importantes para a mobilidade na época, como a estrada do Oratório e o Caminho do Pilar, segundo Ademir Medici, autor da obra "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". As primeiras ruas do bairro, que nasceu às margens da ferrovia, dividiam espaço entre casas e pequenas instalações fabris, especialmente, a partir de 1912. Loteamentos no bairro No século 20, o território que hoje abriga o Centro ganharia o loteamento da Vila Flaquer, o que favoreceu o povoamento local e, consequentemente, a expansão do bairro. Dessa forma, em 1912, verificou-se o surgimento do primeiro conglomerado habitacional operário da região, o que atraiu populações interessadas em se estabelecer naquelas terras. Ainda hoje o Centro da cidade é um espaço dinâmico, repleto de comércio popular diverso, com presença de grandes redes do varejo, mas também abriga imóveis residenciais. Dados atuais Com renda média familiar per capita em torno de R$ 4.017,33, entre as mais altas da cidade, o Centro tem população estimada em 3.788. Desses índices, o bairro conta com cerca de 2.053 mulheres e, no caso, aproximadamente 1.735 homens entre os índices populacionais. Os dados fazem parte do Anuário de 2015, da Prefeitura de Santo André, com base em informações coletadas no ano de 2014. Ainda sobre o perfil populacional abordado no estudo municipal, em relação à esco...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Gago Coutinho, Vila Palmares, Santo André, SP valor de R$ 70.000,00 no Lugar Certo

Galpão
Av. Gago Coutinho, Vila Palmares, Santo André, SP

SACADURA CABRAL, 7.000M² TERRENO, 2.500M² A.C, GALPÃO COM AREA LIVRE PARA MANOBRA DE CAMINHÕES, ESCRITÓRIO, GUARITA, TRIFÁSICO. ÓTIMA LOCALIZAÇÃO, FÁCIL ACESSO ANCHIETA. VENHA CONFERIR!<br><br>Origem e resgate histórico Por volta dos anos 30, o bairro Vila Palmares já contava com os primeiros loteamentos. Vale pontuar ainda que o território que hoje abriga o bairro Vila Palmares fazia parte da Fazenda Boa Vista. De todo modo, também constava por lá uma planta com localização de algumas ruas, ainda em 1924, e essas indicações foram respeitadas até hoje, segundo Iberê Luiz Di Tizio, em sua tese: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. Como surgiu o nome? A denominação toponímica está ligada ao histórico Quilombo dos Palmares. O nome teria sido uma sugestão do padre Rubens Chasseraux e com aprovação dos moradores. As informações constam na obra de Ademir Medici intitulada: "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores a se estabelecerem no bairro vieram de outras partes do Estado e, especialmente, de outras cidades brasileiras. Dessa forma, nutriam intuito de conquistarem uma vida melhor na região, aproveitando a oportunidade de trabalho nas empresas ao redor. Dados atuais O bairro Vila Palmares conta com 15.316 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações do ano de 2014. O levantamento apurou resultados socioeconômicas e populacionais da cidade. Quanto à Vila Palmares, desse índice: " Cerca de 7.790 habitantes (população feminina); " Cerca de 7.527 habitantes (população masculina); O anuário elaborado pela Prefeitura de Santo André ainda menciona a quantidade de residências no bairro. No caso, a Vila Palmares conta com 5.094 domicílios particulares permanentes ocupados. Sobre as informações socioeconômicas, a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 1.025,03. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa. As faixas etárias e respectivos índices populacionais, conforme os dados colhidos pelo anuário são os seguintes: " Cerca de 3.061 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " Cerca de 2.512 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); " Cerca de 2.082 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 anos); " Cerca de 1.584 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " Cerca de 1.565 habitantes (grupo de pessoas entre 50 a 59 anos); As demais faixas etárias observadas segundo as informações colhidas pelo levantamen...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Atlântica, Vila Valparaíso, Santo André, SP valor de R$ 15.000,00 no Lugar Certo  29

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 8.000,00 no Lugar Certo  6

Galpão
Av. Dom Pedro II, Campestre, Santo André, SP

Excelente Galpão Campestre/SA - Com escritório, 02 wcs sociais, recepção, copa. Possui 500m² de terreno sendo 200m² área coberta, 300m² de área livre, 7mts de pé direito. Agende sua visita!!!<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice populacional compreende habitantes com mais de 60 anos (3.109 habitantes). Em segundo lugar está o grupo ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Utinga, Utinga, Santo André, SP valor de R$ 15.000,00 no Lugar Certo  26

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. dos Coqueiros, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 24.000,00 no Lugar Certo  19

Galpão
R. dos Coqueiros, Campestre, Santo André, SP

Ótimo galpão localizado no bairro Campestre possuindo 2000m de terreno sendo 2500m de área construida. Imóvel com perfil para industrias, empresas e comercios. Não perca essa oportunidade, agende sua visita!!! ¿Pequenas oportunidades podem ser o início de grandes empreendimentos¿ Demóstenes<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice po...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Jorge Velho, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 15.000,00 no Lugar Certo  17

Galpão
R. Jorge Velho, Campestre, Santo André, SP

Excelente imóvel para fins industriais com sillamento industrial, 400m² de área fabril, recepção com banheiro e ar-condicionado, escritóio com ar-condicionado, refeitório, vestiario. Agende sua visita!<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice populacional compreende habitantes com mais de 60 anos (3.109 habitantes). Em segundo lugar est...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. José Dângelo, Jardim Ocara, Santo André, SP valor de R$ 6.800,00 no Lugar Certo  8

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 6.100,00 no Lugar Certo  4

Galpão
Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP

Galpão na av Industrial em Santo André -área de zoneamento industrial - São 231 m2; - 2 Banheiros; - Pé direito de 5 metros de altura; - Quadro de energia para ligação trifásica; - Piso Usinado; - . Bem localizado na região do Grande ABC<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice populacional compreende habitantes com mais de 60 anos (3.1...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 167.000,00 no Lugar Certo  24

Galpão
Av. Industrial, Campestre, Santo André, SP

Galpão com ótima localização em uma área de 18,000,00m² e 15,080m² de área construída, distribuídas em galpões de várias medidas, piso industrial, estacionamento interno, logística perfeita com rodoanel, Av. do Estado, Anchieta.<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice populacional compreende habitantes com mais de 60 anos (3.109 habita...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Cantagalo, Vila Sacadura Cabral, Santo André, SP valor de R$ 4.000,00 no Lugar Certo  15

Galpão
R. Cantagalo, Vila Sacadura Cabral, Santo André, SP

Excelente galpão Vila Cabral /SA com 300m² de área construida , 280 de área fabril, WC, pé direito 6m², mezanino com escritório, wc e cozinha, 01 vaga de garagem.<br><br>Origem e resgate histórico O bairro Vila Sacadura Cabral tem suas origens por volta de 1952, período marcado pelos primeiros loteamentos na localidade. No caso, cerca de quase 15 anos após a emancipação de Santo André em relação a São Bernardo, fato ocorrido em 1938. Como surgiu o nome? A denominação toponímica surgiu em virtude de uma homenagem a Sacadura Cabral (Arthur de Sacadura Freire Cabral), aviador português responsável pela primeira travessia aérea de Lisboa ao Rio de Janeiro, ainda nos anos 20. Os dados são citados por Iberê Luiz Di Tizio, em sua tese: "Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros", apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. A homenagem foi uma sugestão de um motorista que transportou Sacadura durante a visita dele ao sítio dos Tangarás, em Santo André. A propriedade pertencia a Charles Murray, executivo da famosa empresa São Paulo Railway. Primeiros moradores e habitação Os primeiros moradores a se estabelecerem no bairro vieram de outras partes do Estado e, especialmente, de outras cidades brasileiras. Loteamentos no bairro Embora tenha surgido em 1952, a Vila Sacadura Cabral já contava com loteamentos nos anos 30. Porém o processo desenvolvimento apenas se desenrolou nos anos 50, após a área ser arrematada pela Caixa Econômica Federal, fomentando assim a ocupação no bairro. Na década de 30, a Vila Sacadura Cabral possuía muitas olarias ao redor. As informações constam na obra de Ademir Medici intitulada: "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Dados atuais O bairro Vila Sacadura Cabral conta com cerca de 11.899 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em informações de 2014. O levantamento apurou resultados socioeconômicos e populacionais sobre os bairros da cidade, num material extenso com informações diversas sobre as localidades. Os dados citados contidos no anuário também se referem ao bairro Vila Aquilino. Foram colhidas informações conjuntamente de ambas as localidades, já que se tratam de bairros vizinhos com contextos semelhantes. Quanto às informações socioeconômicas, a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 1.025,03. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa. O anuário ainda aponta as faixas etárias com os maiores índices: " Cerca de 2.378 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " Cerca de 1.952 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos);...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Havana, Utinga, Santo André, SP valor de R$ 20.000,00 no Lugar Certo  11

Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em Av. André Ramalho, Parque Jaçatuba, Santo André, SP valor de R$ 8.500,00 no Lugar Certo  17

Galpão
Av. André Ramalho, Parque Jaçatuba, Santo André, SP

Galpão ótimo para industrias, com trifásico, 300 metros de area util, possui salas, fica na av andre ramalho, ótima localização para atacados. Agende sua visita! ¿O primeiro sintoma de que estamos matando nossos sonhos é a falta de tempo. As pessoas mais ocupadas têm tempo para tudo. As que nada fazem estão sempre cansadas¿. Paulo Coelho<br><br>Origem e resgate histórico O bairro tem suas origens nos anos 50, em 1955. Porém as terras que hoje compreendem o Parque Jaçatuba faziam parte do sítio de mesmo nome (Jaçatuba), segundo informações contidas na tese de Iberê Luiz Di Tizio, Santo André causa toponímica na denominação de seus bairros, apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade de São Paulo), em 2009. O então sítio tem registros desde o século 19, em 1856, pertencente a João José Barbosa Ortiz. Ele teria herdado as terras de seu pai, o tenente Francisco Barbosa Ortiz. Imenso, além do Parque Jaçatuba, as terras do sítio hoje ainda compreendem outros bairros de Santo André, os parques: João Ramalho, Erasmo Assunção, além das Vilas: Bartira,São Pedro e Curuça. Também constam as localidades, como os Jardins: Alzira Franco, Nice e Monte Líbano. Como surgiu o nome? As denominações toponímicas estão ligadas ao fato do atual território ter sido parte do sítio Jaçatuba. Primeiros moradores e habitação Os primeiros habitantes do bairro participaram de loteamento na região já a partir dos anos 20, embora as configurações atuais do bairro tenham sido inicializadas na década de 50, com abertura de outros loteamentos. Dados atuais O bairro conta com 4.441 habitantes, segundo dados do anuário de 2015, realizado pela Prefeitura de Santo André, com base em dados do ano de 2014. O levantamento apurou informações socioeconômicas e populacionais sobre os bairros da cidade. Quanto às informações socioeconômicas, a renda mensal média familiar (per capita) é de R$ 1.641,67. Lembrando que o valor é obtido por meio da quantidade do rendimento individual de cada membro da família e, dessa forma, o resultado é dividido pela quantidade de todos os moradores da casa. As faixas etárias e respectivos índices populacionais, conforme os dados colhidos pelo anuário, são as seguintes: " 674 habitantes (grupo de pessoas com 60 anos ou mais); " 765 habitantes (grupo de pessoas entre 20 a 29 anos); " 667 habitantes (grupo de pessoas entre 30 a 39 anos); Em todo caso, as demais faixas etárias observadas: " 667 habitantes (grupo de pessoas entre 40 a 49 anos); " 570 habitantes (grupo de pessoas entre 50 a 59 anos); " 308 habitantes (grupo de pessoas entre 15 a 19 anos); " 292 habitantes (grupo de pessoas entre 10 a 14 anos); " 257 habitantes (grupo de pessoas entre 05 a 09 anos); " 243 habitantes (grupo de pessoas entre 0 a 04 anos); O levantamento ainda traz informações s...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros


Colonia Consultoria de Imóveis Ltda
Galpão para alugar em R. Marina, Campestre, Santo André, SP valor de R$ 25.000,00 no Lugar Certo

Galpão
R. Marina, Campestre, Santo André, SP

Excelente galpão comercial com escritórios e mezanino. Em ótima localização. Agende sua visita.<br><br>Origem e resgate histórico As primeiras origens do território que hoje compreende o bairro Campestre se localizam no início dos anos 20, do século passado. Lembrando que nessa época, a cidade fazia parte de São Caetano. O município de Santo André foi emancipado no final dos anos 30. A área que atualmente abriga o tradicional bairro Campestre era composta por terras pertencentes ao Nhonhô Maria, que se chamava Antonio Miguel Maria, segundo a obra de Ademir Medici, autor de "Migração, Urbanismo e Cidadania: a história de Santo André contada por seus personagens". Além disso, curiosamente, entre a população de Campestre havia um morador bastante popular na época, especialmente para quem vivia na região de São Caetano. No caso, se tratava do curandeiro Vicente Rodrigues Vieira. Sua propriedade atraída muitas pessoas interessada em seus atendimentos espirituais. Ele morreu nos anos 30, aos 52 anos. Como surgiu o nome? O nome do bairro se originou devido à presença de vegetação e mata que aos poucos deram espaço a loteamentos, em meio à arborização. Um dos intuitos dos primeiros habitantes e loteadores, de fato, eram criar um bairro repleto de casas do campo. Primeiros moradores e habitação Nessa época, a família Pujol realizava loteamentos em várias partes da cidade, inclusive no bairro Campestre. A premissa principal era estabelecer bairros nobres, voltados à camada da sociedade mais escolarizada na época. No período, os Pujol colocaram em prática um sistema de transporte eficaz para aqueles tempos, o bonde a vapor que ligava a região às estações ferroviárias. O objetivo era atrair populações interessadas em se estabelecer por lá. Loteamentos no bairro Ao longo dos anos, o local foi dividido em terrenos nos arredores do rio Tamanduateí. O bairro surgiu como um ponto de passagem de quem se destinava a ir a São Caetano, que juntamente com Santo André fazia parte de São Bernardo. A partir de 1925, data dos primeiros loteamentos, Campestre foi crescendo e se tornou uma das primeiras configurações do cenário urbano da cidade. Além dos loteamentos, surgiram as avenidas D.Pedro 2º e Industrial, um ponto marcante quanto às instalações de empresas na região, como a Black & Decker, como menciona Iberê Luiz di Tizio, em sua tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). Dados atuais Anuário de 2015 da Prefeitura de Santo André aponta que o bairro Campestre conta com mais de 14.906 habitantes, entre mulheres (7.923) e homens (6.983). Além disso, a faixa etária com maior índice populacional compreende habitantes com mais de 60 anos (3.109 habitantes). Em segundo lugar está o grupo entre 30 e 39 anos (2.298) e, na sequência, verifica-se a população entre 40 e 49 anos ...<br><br> *** Vide referências em www.colonia.com.br/referencias/bairros